Muitas empresas adotam programas de incentivo como forma de reconhecimento aos colaboradores, com a intenção de mantê-los motivados no trabalho. Esse é um projeto que requer planejamento e algumas análises antes de ser implementado.

Neste post, vamos oferecer algumas dicas para escolher o melhor programa de incentivo para uma equipe, de forma que os resultados sejam favoráveis e beneficiem tanto os colaboradores quanto a empresa. Confira agora mesmo!

Identifique os objetivos

Antes de começar a planejar o programa de incentivo, é preciso definir quais são as metas que precisam ser cumpridas para que a bonificação seja oferecida. Além de aumentar as vendas, objetivo mais comum desses programas, a empresa também pode estipular como meta a redução de custos, o fechamento de novos contratos, a redução do tempo do ciclo do pedido e o aumento da área de distribuição, por exemplo.

Feito isso, é preciso especificar melhor essas metas com dados, por exemplo: “aumentar as vendas em 30% por mês”. Assim fica claro para todo mundo onde se quer chegar e é possível determinar o que precisa ser feito para alcançar esses objetivos.

Defina o método de bonificação

O programa de incentivo pode ser utilizado para premiar equipes como um todo ou colaboradores pelo seu desempenho individual. Nesse segundo caso, porém, é preciso levar em consideração as particularidades de cada um na hora de mensurar os resultados.

Por exemplo: um vendedor que trabalha com uma região mais “complicada” do que outro não pode ser avaliado da mesma forma; caso contrário, o programa só serviria para desmotivar alguns colaboradores, indo na contramão do objetivo.

A ideia é recompensar pelo esforço realizado. Se as atividades executadas são diferentes em em alguns aspectos, mas o empenho é o mesmo, devem-se criar métodos de avaliação diferentes para esses casos.

Avalie qual será a bonificação

Uma das formas mais adotadas pelas empresas para gratificar seus colaboradores é por meio do pagamento de um bônus sobre os resultados que foram alcançados. Porém, existem outras possibilidades que podem inclusive ter impacto mais duradouro, como premiações com viagens e dias de licença remunerada, por exemplo.

Analise os impactos

Na hora de adotar um programa de incentivos, é preciso ter em mente que eles também estão sujeitos a legislação trabalhista. Ou seja: eles também sofrem com encargos e isso também deve ser considerado na hora de contabilizar os custos.

A análise desses impactos do ponto de vista financeiro é importante para avaliar se o retorno que a empresa terá com o aumento da produtividade consegue pagar o programa de incentivos ou se existe o risco de ele trazer prejuízos e prejudicar os resultados.

A ideia central do programa de incentivo é fazer com que a equipe se sinta recompensada por seus esforços e se mantenha motivada, de forma a contribuir cada vez mais para que a empresa alcance bons resultados. Porém, se ele não for bem estruturado, corre-se o risco de levar os colaboradores a uma competição não saudável ou então comprometer os resultados que foram conquistados, se distanciando do objetivo principal.

Suas dúvida a respeito de como estruturar um programa de incentivo foram esclarecidas? De que forma você acha que seria possível recompensar seus colaboradores pelo trabalho realizado? Deixe suas questões e opiniões nos comentários e participe da conversa!