Os programas de incentivo costumam ser criados pela área de RH e, infelizmente, muitas empresas os veem apenas como um custo. Na verdade, eles podem contribuir muito para o aprimoramento dos colaboradores e fazer com que eles se tornem mais produtivos.

Para isso, porém, eles precisam ser bem analisados. Deve-se fazer um planejamento de acordo com o cenário da empresa: se o caixa está bom, haverá mais recursos para investir; se a realidade for oposta, será necessário realizar mais com menos.

Deve ser feita uma análise a médio e longo prazo de como as ações impactarão na empresa e como ficará a motivação dos colaboradores. Os objetivos e a forma de avaliação devem estar claros, pois é com base neles que se conseguirá aprovar ou não o orçamento.

Continue lendo e veja algumas maneiras de planejar o budget de incentivo:

Tenha metas claras

Não adianta apenas decidir fazer um programa de incentivo na empresa se não houver uma meta clara que se pretende alcançar. O valor que será investido deve ser definido de acordo com quanto se pretende ganhar em retorno. Por exemplo, caso tenha como meta um lucro de R$ 100 mil nas vendas, você pode estipular que usará 20% para criar um programa de incentivo, definindo sua verba como R$ 20 mil.

Crie uma estratégia

A porcentagem destinada ao seu programa de incentivo deve ser proporcional ao tamanho da sua meta e à dificuldade de atingi-la. Se R$ 100 mil, como no exemplo acima, for algo que não esteja muito distante da realidade, imaginando que a empresa trabalhe 30% abaixo dessa meta e o cenário esteja otimista, os 20% do exemplo podem bastar. Caso a diferença seja muito grande, reavalie o valor do seu budget para que o prêmio seja proporcional ao esforço que será feito para alcançar a meta.

Da mesma maneira, você pode criar estratégias para dar prêmios caso fiquem um pouco abaixo da meta principal. Por exemplo: com 90% da meta ganha-se um vale presente e, caso a equipe atinja 100%, ganha uma viagem. A comparação entre as duas possibilidades deixa os colaboradores ainda mais motivados a completarem os 10% restantes para ganharem uma premiação muito melhor.

Avalie as opções e não extrapole

Por mais que a vontade de criar um programa com prêmios altos seja grande, vale avaliar suas opções no momento. Talvez o melhor seja criar um programa mais simples, com uma meta menor, se não for possível separar um budget grande no momento. O importante para que o programa seja efetivo é que o prêmio a ser oferecido seja proporcional ao esforço que a equipe terá que fazer.

É preciso ter em mente que, na hora de planejar o budget, os programas de incentivo não podem ser deixados de lado, mas devem ter os seus objetivos e metas estabelecidos para que seja possível calcular o orçamento necessário. Dependendo do cenário, esses valores podem variar, sendo que muitas vezes será necessário usar a criatividade e trabalhar com menos sem deixar de oferecer bons incentivos.

E você, como costuma planejar o budget para incentivar seus colaboradores? Deixe seu comentário!