Obter resultados consistentes requer planejamento e estratégias de motivação, como criar um programa de incentivo para a equipe. Para alcançar resultados diferenciados, é preciso sair do lugar-comum. Recompensas financeiras, promoções e benefícios são até bons incentivos, porém não tornam o seu programa de incentivo especial, de fato atrativo e diferenciado.

Para surpreender a equipe e incentivá-la a superar os seus limites, é preciso que os membros da empresa estejam envolvidos com o trabalho que desempenham. Engajar a equipe é uma estratégia fundamental para aumentar a produtividade da organização, de modo a manter os seus colaboradores sempre atuantes no alcance de objetivos e metas estipulados.

Seguindo esse raciocínio, os líderes de equipes têm um papel central para estimular os seus membros. Quando empenhados e dotados de artifícios motivadores, como os programas de incentivo, são os gestores os profissionais capazes de estimular o comprometimento dos colaboradores na execução de suas tarefas cotidianas, de forma a alavancar o engajamento da equipe.

Existem diversas alternativas no mercado que podem gerar esse efeito. Mas, para implementar um programa de incentivo de excelência voltado à equipe, é necessário que o gestor vá além das expectativas dos colaboradores, de forma a surpreendê-los. Neste post, vamos mostrar como é possível criar esse tipo de programa de incentivo, confira:

Beneficie-se de um programa de incentivo

São muitos os benefícios — diretos e indiretos — que uma empresa obtém ao implementar um programa de incentivo. Entre as principais vantagens diretas, estão: o aumento da motivação e da dedicação dos colaboradores, a elevação da produtividade, a melhoria do clima organizacional, a maior satisfação dos colaboradores e a retenção de talentos.

Além disso, há vantagens indiretas, tais como a conquista de público interno e a economia de recursos gerada pela não rotatividade da equipe.

Alinhe metas e estratégias de bonificação

Depois de saber os benefícios de um programa de incentivo, é preciso descobrir como criar um. O primeiro passo é determinar o objetivo, o ponto que o colaborador deverá atingir. É necessário que essa relação entre meta e bonificação seja facilmente entendida pela equipe.

1. Verifique se sua meta é acessível

É claro que toda empresa quer se superar sempre, atingindo novas marcas, melhorando cada vez mais os seus resultados. Porém, estabelecer um objetivo inalcançável trará o efeito oposto do esperado: a equipe se sentirá desmotivada devido à dificuldade de alcançar o padrão determinado.

2. Disponibilize os recursos necessários

Ter um bom desempenho ao longo do processo produtivo é tarefa da equipe, mas os recursos necessários para realizar um trabalho eficiente devem ser disponibilizados pela empresa. Assim, sem os recursos exigidos, o alcance do objetivo torna-se uma missão praticamente impossível.

Uma equipe de vendas, por exemplo, precisa ter em mãos as ferramentas necessárias para atingir bons resultados, como produtos de qualidade, um estoque organizado, um sistema de vendas eficiente, além de uma estrutura que funcione. De posse desse instrumental, cabe à equipe vender.

3. Analise a proporção entre meta e recompensa

Ao escolher como a equipe será bonificada, é necessário avaliar o esforço que está por trás do processo. O tamanho da recompensa deve ser proporcional ao grau de dificuldade da meta para que os colaboradores percebam que o esforço valerá a pena.

Além disso, em se tratando do retorno para a empresa, deve-se tomar cuidado para não ultrapassar as próprias possibilidades. Para evitar isso, um estudo a respeito do retorno sobre o investimento e um planejamento detalhado são essenciais antes de pôr em prática o programa.

Defina metas pessoais e coletivas

É fundamental que as metas estipuladas sejam tanto individuais quanto coletivas, uma vez que os dois tipos são complementares. As metas pessoais visam a fortalecer a motivação da equipe ao mesmo tempo em que valorizam as habilidades de cada colaborador. Tais metas devem ser ambiciosas, mas realistas. Sua definição precisa estar de acordo com o cargo, possibilidades de atuação e experiências dos profissionais.

As metas coletivas têm como objetivo promover a integração da equipe e estimular a colaboração entre os seus membros. Elas contribuem de maneira significativa para fomentar a complementaridade de execução do trabalho, ainda que possa haver a competitividade entre os colaboradores. A ideia é mostrar que as tarefas precisam de atuação conjunta para ser desenvolvidas.

Dê feedbacks constantemente

Depois de alinhar as metas às estratégias de bonificação, é necessário estipular estratégias para que o processo funcione, entre as quais figura o feedback. Isso é fundamental, tendo em vista a importância da comunicação para a eficiência das atividades de uma organização.

As relações de trabalho são niveladas a partir do grau de comunicação. Quanto mais eficiente ela for, maiores as chances de obter um ótimo desempenho. O diálogo entre líderes e equipe tem se tornado cada vez menos verticalizado, o que tem trazido boas consequências para ambas as partes.

Após definir o programa de incentivo, determinar as metas — se possível, incluindo a equipe na decisão — e comunicar aos colaboradores, chega a hora de manejar o processo de forma eficaz. Para isso, é fundamental focar a motivação e a produtividade da equipe.

Nesse sentido, o feedback é uma ferramenta indispensável. O gestor que costuma ter um diálogo constante com os colaboradores, dando retornos em tempo real, sem deixar para depois, consegue ser mais pontual e consertar determinadas falhas ou incentivar certas práticas de forma mais assertiva.

Tanto o feedback positivo quanto o negativo têm suas funções — e, por isso, é necessário fazer o uso de ambos, estando atento sempre à forma como serão praticados. Encontrar a medida entre o profissionalismo e a cordialidade é sempre uma regra fundamental.

Saiba que a bonificação mais cara não é a melhor

Existe uma forma de pensar que é bastante comum entre as pessoas e consiste na associação entre qualidade e preço. Esse tipo de pensamento se confirma se olharmos para o tradicional, aquilo que já é mais do que conhecido no mercado.

Diferente disso, quando buscamos propostas inovadoras, é possível sair dessa dinâmica de que, quanto maior o valor, melhor será a experiência. Muitas vezes, passeios mais simples, porém ricos em novas experiências são bem mais interessantes do que, por exemplo, presentes caros.

Invista em experiência

Esta dica vale ouro quando pensamos em programas de incentivo. Diferente de prêmios e recompensas materiais, que costumam ter determinada vida útil, uma experiência como uma viagem jamais é esquecida, sendo valorizada pelo colaborador que a recebe.

Quando a empresa pode oferecer esse tipo de experiência, ela passa a fazer parte da história da pessoa, que tende a perpetuá-la, por meio de conversas com os colegas, incentivando-os a buscar a mesma premiação. Além disso, há aqueles benefícios que só uma viagem é capaz de trazer.

Faça aquilo que ninguém pensaria em fazer

Ao escolher o destino do passeio, não se limite apenas a pontos turísticos que todo mundo vai conhecer de qualquer forma. Pense além, uma vez que isso marcará a experiência do colaborador. Inclua no pacote algo inesquecível, que, ainda que todos queiram, ninguém imagina que seja possível.

Alguns exemplos são: passeio de Ferrari, um jantar em um clube de Lordes de Londres, um voo de caça nos Estados Unidos, enfim, solte a imaginação e veja as possibilidades. Existem opções com menor custo e tão interessantes quanto. Você sabia que o maior museu a céu aberto da América Latina fica em Brumadinho, Minas Gerais?

Coloque em ação

Depois de planejar e escolher, certifique-se de que todos os detalhes foram cuidados de forma organizada. Você pode contratar serviços especializadospara garantir que tudo vai ocorrer da melhor forma possível. Além de poupar tempo e dinheiro, essa tática confere mais profissionalismo à bonificação.

Independentemente do que a empresa vai proporcionar no programa de incentivo, o mais importante é aliar produtividade e satisfação da equipe. Tendo isso em mente, o gestor poderá manejar a estratégia de maneira objetiva, avaliando se os efeitos esperados estão mesmo ocorrendo.

Faça a mensuração das campanhas de programa de incentivo

É importante verificar se o programa de incentivo está surtindo os efeitos almejados pela empresa. Para isso, vale a pena medir a evolução das equipescom frequência, o que pode ser feito por meio do uso de métricas e indicadores, além da mensuração da satisfação dos colaboradores com a execução do programa.

Uma alternativa interessante para esse acompanhamento é empregar pesquisas de clima organizacional. As respostas fornecidas às perguntas comumente feitas nesses estudos possibilitam que os gestores percebam de que forma as equipes encaram as normas, os prazos e as recompensas, o que permite melhorar constantemente as campanhas.

Construa uma história marcante

Outra prática interessante é documentar essa ação, trazendo-a para a cultura da empresa, para que, assim, seja internalizada e enriqueça o histórico da instituição. Fotos e cerimônias para marcar a premiação são também formas de incluir a participação daqueles que não ganharam o prêmio, mas que fizeram parte da estratégia.

O valor do capital humano é central em qualquer organização, por isso, nunca é demais investir na satisfação de colaboradores somada a um aumento da produtividade. O patrimônio de uma organização é medido também pela riqueza de recursos voltados para a inovação e para o bem-estar de colaboradores, além, é claro, da eficiência da empresa prestação de seus serviços.

Este texto ajudou você? Então, compartilhe-o em suas redes sociais.