A vida corporativa se assemelha ao mundo dos esportes, como já vimos nas lições do futebol para o marketing, mas você sabia que podemos aprender ainda mais com ele?

Assim como nas corporações, as pessoas são a maior virtude das organizações esportivas e é essencial que elas estejam motivadas para trabalharem juntas em busca de um objetivo comum: a vitória. Isso é retenção de talentos.

No futebol, há muito sobre planejamento, técnicas e fundamentos que funcionam tanto em campo quanto no escritório. Reunimos as seis principais lições desse esporte para a gestão de pessoas:

 

É preciso saber conduzir

Ao começar a jogar futebol, o sonho de muitos é ocupar a posição de atacante para brilhar fazendo gols, entretanto, há pessoas que desenvolvem melhor a função do passe de bola. E cabe ao técnico e gestores identificar os pontos fortes dos integrantes para ajudá-los a desenvolver seu melhor papel, fortalecendo o time.

 

O recrutamento depende do adversário

A escolha dos 11 jogadores que estarão em campo vai além da habilidade individual. É necessário também estudar a seleção adversária e suas próprias táticas para escalar os atletas do contra-ataque.

Em uma empresa, o “adversário” é o seu conjunto de objetivos e metas para alcançá-los. A escolha certa dos integrantes dependerá do tipo de desafios que o time enfrentará, afinal, mesmo o melhor profissional pode não ser o mais qualificado para lidar com alguns cenários.

 

Dias bons e ruins são inevitáveis

Nem sempre as pessoas terão a mesma performance, pois vários fatores afetam o desempenho em campo ou no trabalho. É possível que o melhor atacante tenha um dia ruim e o jogador mais esforçado marque o gol da vitória.

Por isso, é essencial que o gestor consiga perceber os momentos e conduza o time ao sucesso.

 

Equipe unida faz a diferença

Vitórias e derrotas fazem parte do futebol e da vida profissional. Assim sendo, é muito importante priorizar uma equipe unida, de pessoas que se apoiam em momentos difíceis e que vibram com as conquistas do time.

Se esta cultura de união for incentivada, os colaboradores poderão permanecer jogando juntos por mais tempo e com melhor desempenho. Compartilharão ideias para que o outro também cresça.

 

Senso de pertencimento

Durante a Copa do Mundo da FIFA™, as vendas de produtos associados à Seleção Brasileira aumentam, pois todos sentem vontade de participar do evento de alguma maneira. Em uma empresa, a sensação de pertencimento é estabelecida quando todos os colaboradores sentem-se realmente parte da ação.

Melhorar o fluxo interno de comunicação, estipular propósitos e programas de integração são boas ações para alavancar o espírito de pertencimento e fazer com que os colaboradores vistam a camisa da companhia, tornando-se “intraempreendedores”.

 

Reconhecimento

Um bom salário, confiança do técnico, fama e o amor da torcida são um compilado de razões pelas quais um jogador se mantém motivado.

Assim como na Seleção, uma grande corporação sabe que seus resultados estão atrelados à felicidade do colaborador. Além do salário, as novas gerações buscam também liberdade para expor ideias e reconhecimento das ações. Sentindo-se mais motivados a atingir as metas, inovam mais e aumentam a produtividade e, consequentemente, o lucro da empresa.

Prêmios e bonificações são algumas das escolhas para engajar equipes, mas uma experiência ultrapassa qualquer bem material. Lembranças fazem parte da vida e investir em momentos inesquecíveis pode ser muito mais impactante e rentável.

Tomar como base estas lições pode fazer grande diferença na gestão de pessoas da sua empresa, e por que não motivá-las com uma oportunidade grandiosa? Falta menos de um mês para a CONMEBOL Copa América 2019 e ainda dá tempo de transformar este grande evento esportivo na ação de incentivo do seu negócio!