Comunicação interna: você sabe o que é o feitiço das organizações?

  • Post Author:
  • Post Category:Blog
Comunicação interna: você sabe o que é o feitiço das organizações?
Young creative business team in office taking sticky notes from the wall. Businessman and businesswoman looking at post it on wall in office. Young business man looking sticking notes on wall in creative office.

“Vestir a camisa da empresa” e “se sentir dono do negócio” são algumas frases muito usadas em dinâmicas de motivação de equipes no mercado de trabalho, mas que podem esconder armadilhas para os trabalhadores e as organizações.

Em alguns casos, o que era um contrato mútuo de colaboração profissional pode se tornar uma relação de dependência que impacta a vida pessoal dos trabalhadores e resulta em perdas de imagem positiva para a empresa, especialmente em momentos de crise, quando é necessário cortar pessoal e rever gastos na gestão de pessoas. E isso tem um nome: feitiço das organizações.

No post de hoje, você vai entender mais sobre esse conceito e como evitar que esse fenômeno aconteça na sua equipe, sem perder a motivação dos trabalhadores.

O que é o feitiço das organizações?

O feitiço das organizações é um livro e uma teoria desenvolvidos pela doutora em educação Maria Aparecida Rhein Schirato. A obra aborda os efeitos psicológicos nos trabalhadores que cultivam a ideia de uma empresa que é parte dele e de toda a sua vida, e como a ruptura dessa sensação em uma demissão ou programa de demissão voluntária pode causar um sentimento de traição e abandono.

A autora afirma que as empresas devem rever seus discursos cotidianos para evitar esse efeito, desmistificando a ideia de que os colaboradores são parte de uma família, quando na realidade a relação não é familiar, mas profissional.

Por que o feitiço das organizações é tão prejudicial?

A ideia do trabalho como a vida do colaborador não é saudável para ele, para o seu gestor, nem para a organização. Um trabalhador que vive para a empresa negligencia outras áreas de sua vida social e, mais cedo ou mais tarde, os problemas da vida pessoal vão se refletir em sua produtividade e capacidade de trabalho.

Um vínculo excessivamente afetivo com a empresa gera um desgaste ainda maior em momentos de redução de pessoal. Os profissionais demitidos se sentem verdadeiramente ofendidos e reverberam uma imagem muito negativa de “ingratidão” da empresa para com aqueles a quem chamava de membros da família.

Como evitar o feitiço das organizações sem perder a motivação dos colaboradores?

Ter claras as políticas de plano de carreira é a maneira mais transparente de equilibrar as expectativas de colaboradores e empresa. É um contrato honesto em que eles conhecem as regras de valorização profissional ofertadas pela organização e a natureza dessa relação.

Há muitas formas de manter a motivação dos trabalhadores sem distorcer o papel da carreira em suas vidas, como programas de bônus por produtividade, participação nos lucros, confraternização de alcance de metas e viagens de incentivo.

As viagens de incentivo têm 2 grandes vantagens: além de serem premiações motivacionais, podem funcionar ainda como ação de valorização, capacitação e treinamento, bastando incluir no roteiro do passeio participações em seminários e feiras do setor de atuação da empresa e de interesse para a área de trabalho do colaborador.

Agora que você já sabe o que é o feitiço das organizações e como evitar que sua equipe caia nessa armadilha, compartilhe com a gente suas experiências de motivação. Deixe seu comentário!