Os 10 maiores erros em programas de incentivo

  • Post Author:
  • Post Category:Blog
Os 10 maiores erros em programas de incentivo

A criação de programas de incentivo é algo muito comum entre empresas que possuem um departamento comercial. É preciso estimular os vendedores a sempre buscarem os melhores resultados, pois é assim que a empresa conseguirá crescer e conquistar novos patamares. Mas nem sempre a criação desses programas é bem-sucedida, seja por falta de conhecimento dos gestores ou por uma administração distante do público-alvo da campanha.

Neste artigo, vamos mostrar os principais erros cometidos pelos gestores para que você fuja desses problemas na hora de criar o programa de incentivos em sua empresa. Acompanhe!

Não realizar um planejamento eficiente

Parece aquele velho chavão da administração, mas não é! O planejamento estratégico é fator indispensável para o sucesso de um empreendimento. É a partir dele que você vai definir a duração da campanha, os tipos de prêmios a serem oferecidos e poderá justificar cada ação tomada.

Aproveite esse momento para também observar como é o comportamento da equipe e traçar o melhor tipo de programa, que atenda às necessidades da empresa e satisfaça os funcionários.

Para que seu planejamento seja eficiente, o ponto mais importante a ser observado é a definição de objetivos. Eles devem ser claros e, principalmente, condizentes com a realidade empresarial e o perfil dos funcionários.

Não conhecer o perfil dos participantes

Qualquer empresa, ao traçar uma ação externa, faz uma pesquisa, por menor que seja, para entender seu público-alvo. O mesmo vale para as ações internas. É preciso saber qual o perfil dos funcionários, o que gostam de fazer, o que consomem, como se comportam, dentre outros. Tudo isso vai influenciar no resultado final, para o bem ou para mal.

Se o corpo de funcionários da sua empresa for composto majoritariamente por pessoas casadas, por exemplo, estratégias de incentivo como premiações com viagenspara destinos mais familiares são escolhas certeiras. Já quando for o caso de um público mais jovem e solteiro, a premiação pode ser feita em forma de viagens a destinos mais badalados, com vida noturna agitada.

A escolha da premiação está diretamente ligada ao perfil da equipe. De nada adianta oferecer, por exemplo, uma tarde em um salão de beleza se a maior parte dos funcionários é homem.

Programas de incentivo com premiação ruim

Cabe ainda se informar sobre o histórico de premiações para que você não faça escolhas abaixo do padrão da empresa ou que não agreguem valor aos funcionários. Assim, a campanha de incentivo perde o efeito e os prêmios serão motivos de piada. Se, por exemplo, o programa de incentivo for associado a uma exigência muito maior de dedicação, a premiação deverá ter, no mínimo, valor agregado diretamente proporcional.

Metas irreais

A definição de metas é uma métrica que vai avaliar o desempenho de cada vendedor. No entanto, é comum que algumas empresas coloquem metas absurdas para que a equipe se esforce, saia de sua zona de conforto, mas não receba a premiação porque não bateu o resultado. Isso desestimula os funcionários e faz com que as próximas campanhas percam efeito.

Ofereça metas reais e premie quem merecer, sem culpa. Dessa maneira, você demonstrará não só que – com esforço – é possível atingir bons retornos em um curto prazo de tempo, demonstrará, ainda, que sua empresa leva a sério e valoriza o tempo e dedicação de seus funcionários.

Prazos inadequados

Na elaboração de um programa de incentivo, outro aspecto crucial é a estipulação de prazos para oferecimento dos prêmios. Se estes forem curtos demais, os funcionários tenderão a perder foco e tentarem cumprir apenas as metas exigidas para os prêmios em detrimento do fluxo habitual e necessário de trabalho.

Por outro lado, prazos muito distantes podem criar a percepção de intangibilidade, o que resulta em desmotivação e falta de empenho. Por isso, além de prêmios atraentes e metas reais e atingíveis, preocupe-se em estipular prazos engajadores. Uma boa solução para que os prazos sejam efetivos é a criação de um cronograma de feedbacks e recompensas periódicos, tanto individual quanto para equipes.

Prêmios que comprometem a verba da empresa

Por mais que seja essencial que seu programa de incentivo ofereça gratificações que realmente fomentem a produtividade interna, é preciso se atentar ao orçamento destinado a esse fim. Caso contrário, você poderá acabar oferecendo prêmios que não poderá cumprir ou, pior, o programa não trará nenhum tipo de retorno na contabilidade final entre o investido e o apurado.

Comunicação descuidada

Uma comunicação ineficiente certamente vai levar a um resultado ruim. Não ter claras as metas estipuladas, o tempo de duração da campanha, o que vale e o que não vale na hora de contabilizar os resultados e até a qualidade das artes que vão divulgar o programa de incentivo são erros que acontecem com frequência e podem gerar esforço desnecessário dos funcionários, transmitindo uma imagem equivocada da ação.

Falta de feedbacks claros

Os feedbacks são importantíssimos nos programas de incentivo, tanto da parte do gestor quanto do colaborador. Do gestor, pois ele é o responsável por cuidar da equipe, e deve parabenizar cada acerto, além de valorizar o bom desempenho. Não que erros não devam ser apontados, mas o resultado positivo deve ser sempre destacado.

Da parte do colaborador, o feedback é importante, pois mostra se a campanha criada foi efetivamente positiva ou se algo saiu fora do previsto. Isso serve como aprendizado para uma próxima ação a ser desenvolvida. É importante ressaltar que os feedbacks devem ser claros, construtivos, respeitosos e, acima de tudo, estimulantes — nunca destrutivos.

Pouco reconhecimento de esforços

Em um programa de incentivo, o reconhecimento de talentos é tudo. Por isso, realize a premiação em um horário em que a maior parte da empresa possa ver os ganhadores e deixe o resultado em um local de grande circulação de pessoas.

Outro ponto importante é o reconhecimento individual, que deve acontecer mesmo que haja o coletivo. Isso incentiva a participação e estimula a criação de novos métodos de trabalho. Muitas vezes, inclusive, a sensação de reconhecimento é muito mais importante para um colaborador do que qualquer prêmio ou gratificação.

Desconsiderar o tempo de serviço

Reter bons talentos é sempre mais eficaz e mais barato do que capacitar novos funcionários. E um dos aspectos mais importantes para que seu colaborador se sinta estimulado a permanecer e crescer na empresa é perceber que o negócio pode (e vai) crescer junto com ele, não às suas custas. Por isso, valorize velhos funcionários. Crie, por exemplo, um plano de aumentos e de premiações para aniversários de anos na empresa. Dessa forma, a carreira interna será muito mais estimuladora para o empregado.

E então, gostou do nosso artigo? Agora que você já sabe quais são os principais erros cometidos na hora de criar o programa de incentivo em sua empresa, aproveite para curtir nossa página no Facebook e ficar por dentro de mais conteúdos exclusivos como este.