Vale a pena investir na motivação dos colaboradores?

Vale a pena investir na motivação dos colaboradores?

A rotina de quem empreende é cheia de desafios, mas talvez o maior deles seja lidar com os recursos humanos que estão envolvidos no cotidiano da empresa. Mais do que encontrar profissionais capacitados para determinada função e alinhados com os objetivos do negócio, é preciso procurar formas de manter a equipe sempre empenhada na busca para atingir alta performance.

Investir na motivação dos colaboradores é fundamental. Falando de uma maneira franca: se há dias em que você, que está à frente do próprio empreendimento, não se sente motivado ou determinado o bastante para encarar o trabalho, imagine quem trabalha para outra pessoa. Envolver-se com o sonho de um terceiro requer muita doação e, para que isso seja possível, é preciso valorização e incentivo.

Continue lendo e veja a importância de investir na motivação da sua equipe:

Motivar é tarefa da empresa?

As pessoas são diferentes e, por isso, ficam motivadas ou desmotivadas por motivos diversos. Nem sempre o método que funciona para uma é eficiente para outra — estímulos excessivos podem sabotar a inspiração de quem já é naturalmente motivado, por exemplo.

A seguinte pergunta é comum: não caberia a tarefa de manter-se motivado ao profissional, e não à empresa? É claro que cada indivíduo, até mesmo pela satisfação pessoal e qualidade de vida, deve buscar seus próprios meios de ser mais produtivo. Porém, há colaboradores com muito talento que podem, por serem imediatistas e dinâmicos, não dar conta de manterem sozinhos o interesse e o foco muito tempo.

A empresa, ao adotar medidas para incentivar seus profissionais, reforça o entendimento de que resultados positivos não são bons apenas para os donos de um empreendimento, mas para o negócio como um todo. Lembre-se: um colaborador premiado por conquistar uma meta ou objetivo tende a fazer de tudo para repetir o feito.

Mas de que formas posso motivar minha equipe?

São várias as maneiras de incentivar sua equipe na busca pela excelência. Cada uma delas apresenta pontos positivos e outros a ponderar. De toda maneira, algum recurso (ou a combinação deles) vai atender às necessidades do seu negócio. Os sistemas de bonificação podem se dividir em 2 grandes tipos: o casual e o estruturado. Vamos conhecê-los mais a fundo a seguir.

Bonificação casual

A bonificação casual não tem parâmetros fixos ou periodicidade, nem está ligada a alguma referência de desempenho que possa ser mensurada. É um prêmio ocasional, ofertado pelo proprietário ou gestores do negócio, por um feito específico.

Para funcionar bem, deve ser efetivamente ocasional e acompanhada de um motivo, por exemplo, “por reduzir em X% o consumo de material mantendo a qualidade”. É preciso cuidado, nesse caso, para não gerar “ciúmes” nos outros colaboradores. Sugestões que partem de um profissional espontaneamente, resultam em melhorias para a empresa e têm baixo custo e fácil implementação são bons exemplos de ações a serem bonificadas casualmente.

Bonificação estruturada

O tipo estruturado se baseia em metas estabelecidas previamente, tem periodicidade definida e se ancora em dados que podem ser quantificados com facilidade. É o caso das metas de vendas, por exemplo.

É preciso atenção, porém, para não ser injusto com um colaborador. A equipe de vendas encontra no caminho inúmeras variáveis não controláveis que fazem com que os resultados sejam melhores ou piores em um período, como a alta da moeda estrangeira ou a sazonalidade.

A variação entre os profissionais e pontos como território de atuação e tempo de casa também são importante. Estabeleça padrões justos, variando as cotas entre regiões ou por tempo de empresa, ou mesmo tomando como base o mês equivalente do ano anterior, com condições parecidas.

Pense bem antes de estabelecer metas por grupo e não individualmente, para evitar erros de estratégia. Apesar de à primeira vista parecerem boas para incentivar o trabalho em equipe, podem levar um ótimo colaborador a perder o fôlego por estar carregando um colega menos empenhado nas costas.

O mais importante é ter ciência de que a bonificação não precisa ser apenas em dinheiro. É possível negociar outras vantagens tão interessantes quanto, como dias adicionais de férias, viagens exclusivas, jantares em restaurantes, ingressos para shows, possibilidade de chegar mais tarde ou sair mais cedo em um dia da semana. O que não vale é não investir na motivação de sua equipe!

E você, que outras táticas usa para garantir a motivação dos colaboradores? Compartilhe suas dicas nos comentários!

Deixe um comentário